domingo, 8 de outubro de 2017

Bonito - Mato Grosso do Sul

Bonito realmente é muito bonito! 

Voamos de Azul para Bonito, que inicialmente seria um voo direto Campinas para Bonito, mas que foi alterado pela azul e então saímos de BH para Campina, com escala em Corumbá e depois para Bonito.Escolhemos ir para Bonito e não Campo Grande para evitar o traslado até Bonito que dura em média 4 horas, no entanto indico que é mais seguro ir para Campo Grande, já que o aeroporto de Bonito não tem nenhuma estrutura, então se tiver nublado o avião não desce e segue para Campo Grande. No nosso caso o piloto fez um tentativa de pouso e arremeteu faltando poucos metros do chão, mas na segunda tentativa deu tudo certo. Na volta não tivemos sorte e devido ao mal tempo, nem estava chovendo, o voo foi cancelado e tivemos que seguir de van para Campo Grande e embarcamos para BH somente no dia seguinte. Bom de ir também para Campo Grande é que tem voos de outras cia aéreas, em Bonito é somente Azul.  

Tirando o contratempo com os voos, a viagem foi maravilhosa!!! Bonito é um lugar organizado, com ótimos restaurantes, excelente estrutura para o turista e muito bem organizada.

Bonito possui um sistema de turismo que na minha opinião deveria ser copiado por todos lugares turísticos, principalmente os que envolvem turismo ecológico. Como é o sistema? Bonito utiliza um sistema informatizado da prefeitura que organizam todos os passeios turísticos e todas as agências têm que utilizar do sistema. Como 90% dos passeios em Bonito são ecológicos, a ideia do sistema é controlar o limite de turistas em cada passeio, divido em grupos e com limite de horário, ou seja, se são 50 pessoas por dia em determinado passeio e esgotar as vagas, não adiante insistir porque nenhuma agência vai vender passeio fora desse sistema, inclusive se você chegar em algum lugar sem os vouchers, não consegue comprar sem intermédio de uma agência. O melhor de tudo é que o sistema funciona, existe fiscalização e existe a conscientização que se esgotarem os recursos naturais, o trabalho deles acaba. Outro ponto importante é que as agências ganham os cliente pela boa prestação de serviço, porque o valor dos passeios é tabelado e igual para todos. 

Ficamos em Bonito 5 dias, mas o ideal seria 7 dias, fomos em março, mês considerado bom, sem frio, sem chuvas e em baixa temporada. O ponto negativo desse mês é que a famosa Lagoa Misteriosa fica fechada para visitação por que é período que aparecem algumas algas na lagoa, ela reabre no final de abril. O bom de ir fora de época é a tranquilidade para agendar os passeios e escolher pousadas, além do custo que é menos. Se for no período de alta temporada reserve os passeios com antecedência de uns 2 meses pelo menos, porque corre o risco de ficar sem passeio, considerando o que já relatei dos limites de pessoas por dia em cada passeio. Outra recomendação, considerando que a maioria dos passeios envolvem água, é não ir no inverno a não ser que está acostumado com água muito fria, um guia disse que no inverno a temperatura da água cai muito.

Vamos começar as dicas então!!!

Hospedagem:

Pousada Gira Sol: Excelente pousada, não tenho nada que reclamar. Quartos amplos, com ar condicionado split, frigobar, banheiro grande também e tem secador de cabelo. Trocam toalha todos os dias, tanto a de banho como a rosto e tem disponível sempre, sabonete, shampoo e condicionador. O café da manhã com várias opções de bolos, biscoitos e pães, além dos frios tem também ovos mexidos, salsichas e outras variedades, tem alguns doces da região também. A pousada tem uma área verde, muito bem cuidada, com várias árvores e jardins, o que favorece a visita das araras vermelhas pela manhã. Para completar, tem uma piscina grande, de azulejo, muito bem tratada e ainda com opção de hidromassagem. 

A pousada é nova e conta com uma ótima localiza, apesar de não está na rua principal. Para melhorar, dentro dela tem uma agência de turismo, que apesar de muito conhecida, eles pecam na divulgação quando fechamos a hospedagem. No meu caso, fechei a hospedagem e fui pesquisar por uma agência e acabei fechando com outra e não com eles, mas se eu soubesse, teria fechado com certeza com eles, que além da facilidade de está na pousada, possuem uma ótima estrutura e são muito bem organizados. Ou seja, fique na Gira Sol e reserve seus passeios com a Bonitour. 

Restaurantes:

Em Bonito se come muito bem, são várias opções de peixe e tem também jacaré e carne!! É claro que experimentei de tudo!!! Mesmo tendo muita opção de restaurante, eu acabei não querendo arriscar muito e fui nos que eu considero ser os 3 melhores, levando em conta a estrutura, qualidade, cardápio e atendimento, Casa do João, Pantanal Grill e Juanita.

Casa do João: Esse é um dos maiores e mais famosos restaurantes de Bonito. Realmente é muito bom, e o seu carro chefe são os peixes. Além dos peixes tem caipvodkas com as frutas da região. Além do restaurante, dentro tem uma loja de souvenirs, mas as coisas são bem mais caras que as outras lojinhas da rua principal. Aceita cartão de crédito.único ponto negativo é não ter ar condicionado porque o restaurante é todo aberto.

No primeiro dia comemos um pirarucu com molho do chefe, com farofa de banana e provei caipvodka de guavira, diferente mas não é tão gostoso. Guavira é a fruta da região, então tem tudo de guavira, suco, caips, sorvetes, picolé e doces.


Segunda ida à Casa do João, almoçamos pintado com pirão. Também muito gostoso, mas como podem ver, as porções de peixe não são tão grandes, servem exatamente 1 casal. Normalmente eles servem mais se você pedir os acompanhamentos, tipo pirão e farofa.



Terceira vez, jantamos a moqueca! Muito gostosa, mas já comi algumas melhores em BH mesmo, mas não arrependo de experimentar. Vem muito bem servida, dá para até 3 pessoas.


Pantanal Grill: Pantanal Grill foi o preferido do meu marido, o garçom caprichava na dose de whisky... rsrs mas não era só por isso, ele é o restaurante mais completo no meu ponto de vista. Além de todas opções de peixes, tem uma picanha deliciosa, caldos, jacaré e outros tira gostos.Todos os pratos são muito bem servidos e muito bem feitos, o preço é justo e o atendimento é ótimo. Tem ar condicionado e aceita cartão de crédito. Fomos nele mais de uma vez também.


Na nossa primeira vez experimentamos um peixe da região, a pirapitanga, comum em todos os rios de Bonito e em grande quantidade. O peixe é magro, carne branquinha, uma delicia. é servido com legumes, arroz e farofa de banana. De entrada comemos uma porção de iscas de jacaré à milanesa, para quem quer conhecer a carne é uma boa opção. Já a carne de jacaré? é uma carne branca, não tão macia como peixe, mas também nada borrachuda, parece um pouco com rã. Vale a pena experimentar.



Outra boa opção do Pantanal Grill é a picanha com mandioca na manteiga e farofa!!! Picanha deliciosa, bem preparada e macia. O que nos levou a pedir a picanha foi ver a mesa ao lado pedindo e comemos com os olhos, o bom é que deu uma quebrada na sequencia de peixes.


Última ida foi um pouco exótica demais para o meu gosto, mas o Carlos gostou bastante. Pedimos o trio pantaneiro, vem carne de jacaré, piranha e queixada (porco do mato), banana e farofa, carnes com gosto forte, o prato é farto e serve até quatro pessoas. Não gosto muito de carnes com gosto muito forte, o jacaré empanadinho é mais gostoso, mas a experiência é válida.

Juanita: na minha opinião o melhor restaurante de bonito! O tempero do peixe, o pirão... tudo muito bom!! Fomos na Juanita 2 vezes, um almoço e um jantar. Juanita tem um atendimento excelente, ar condicionado, que é muito bom durante o dia, e aceita cartão. Sempre quando solicitamos o prato eles trazem uma entradinha de pasta de alho com torradinhas como cortesia da casa, muito boa a pasta de alho. O prato principal do restaurante é o Pacu na grelha, servido com alcaparras, pirão, legumes, farofa de banana e arroz, se necessário pode pedir mais arroz, farofa e pirão, não cobram a mais por isso. O peixe é maravilhoso, não é à toa que o restaurante está sempre lotado, e olha que fui em baixa temporada.

A segunda ida foi no jantar, nossa despedida de Bonito! A noite tem um senhor que toca arpa, eu nunca tinha visto alguém tocar arpa e esse senhor toca muito bem, o ambiente fica bem aconchegante. Nesse dia pedimos pintado grelhado na brasa, com legumes, farofa, pirão e arroz.


Pastel Bonito: o famoso pastel de Bonito é uma boa opção para matar a fome na chegada de um passeio. Foi o que fizemos, na volta de um passeio, pedimos o motorista do transfer para deixar a gente lá. Pedimos é claro, o pastel de jacaré para experimentar, não achei grandes coisas, pedimos também o pantaneiro, de carne de sol, muito gostoso. O pastel é bem recheado, mas não é barato e não aceitam cartão. O pastel de jacaré custava R$20,00, muito caro, o pantaneiro R$12,00.

Passeios: 

Os passeios compramos na Agência Brasil Nature - ABN, a escolha desta agência foi por ser nacionalmente conhecida e estar bem avaliada no tripadvisor, no entanto, não gostei e não recomendo. Eu já tinha feito as reservas e uma parte do pagamento pela internet com um atendente super profissional que me passou segurança e bom atendimento, mas quando chegamos em Bonito e fomos na agência pegar os vouchers e pagar a diferença, fomos atendido por um funcionário que dava preguiça só de conversar com ele, não explicava direito nada, nem o que fica vamos perguntando, mas já era tarde. Na pousada que ficamos tem a Bonitour, mas uma falha de marketing da pousada que não informa aos clientes no ato da reserva e nem divulgam no Booking que a pousada tem o serviço de passeios. Tirando o atendimento ruim da ABN e alguns atrasos para os passeios, tudo correu muito bem e gostamos bastante dos passeios.

Bonito tem muitos lugares para conhecer, têm passeios que precisam de 1 dia para treinamento e mais outro para executar o passeio, como é o caso do Abismo Anhumas, que infelizmente não fizemos, porque optamos por conhecer mais lugares no tempo que gastaríamos nele, já que não tínhamos muitos dias.

Dica para todos os passeios é levar um mochilinha com água, protetor solar, boné e repelente. Em todos os vouchers vem informando o calçado ideal, tipo de roupa e etc., fique atento, porque em determinados passeios, se não estiver de tênis ou sapato fechado você não vai conseguir fazer o passeio.


Gruta do Lago Azul e Gruta São Miguel: A Gruta do Lago Azul é um dos passeios que todo mundo vai em Bonito. Existe mesmo o lago que no verão deve ficar bem mais azul por causa do reflexo do sol, e é só isso que tem de bonito mesmo, nada tão exuberante com relação à gruta, em Minas Gerais temos grutas mais bonitas, mas o diferencial do lago azul, realmente vale a pena. Não recomendo para quem não pode subir ou descer escadas, porque tem uma escadaria para chegar até o lago, dentro da gruta, e depois subir de volta. Depois seguimos para a Gruta São Miguel, que vale mais a pena pelas araras vermelhas que moram lá e ficam soltas, do que pela gruta que não tem nada de diferente, nós fomos só porque era caminho e de qualquer maneira teríamos que ir porque o transfer era única, ou seja, é uma forma de forçar o passeio, ou vai na gruta, ou fica dentro da van. Fizemos o passei na parte da manhã e retornamos para o almoço. A tarde íamos conhecer o Aquário Natural!!!



Aquário Natural: Um dos cartões postais mais bonitos de Bonito, sem dúvida o melhor passeio! Fizemos a flutuação na parte da tarde, e tivemos sorte por ser baixa temporada, ficamos com o último horário e o passeio foi praticamente privativo, era a gente e o guia, conseguimos aproveitar mais cada momento. Parece realmente que estamos em um aquário de tanto peixe e a água cristalina e também a vegetação verdinha do fundo do rio. Os peixes parecem estar acostumados com a nossa presença, passam do nosso lado tranquilamente, só falta posarem para foto rsrs. A câmera Gopro ou outra a prova d'água é item indispensável do passeio, no local tem um guia que fica tirando fotos e filmando, mas achei caro e não comprei, até porque eu estava com a minha Gopro! A flutuação é com snorkel e os equipamentos e a roupa de mergulho estão incluídos no valor do passeio!! Antes de começar a flutuação é feito um treinamento na piscina, em seguida tem uma trilha curta até a nascente do rio. Não é preciso saber nadar, não pode utilizar protetor solar e nem repelente. Quase chegando a fim da flutuação tem uma parada para tirolesa, que fica a critério do turista fazer ou não, eu fiz, á um frio na barriga, mas é muito bom!! Super recomendo este passeio!!!




Mergulho no rio Formoso: O mergulho no rio formoso é um passeio já indicado para quem já mergulhou alguma vez com cilindro, não é necessário ter certificação e o mergulho é feito somente com guia. Eu gostei do mergulho, mas não é a mesma visibilidade das flutuações do aquário natural e do rio prata, a vegetação e pouca, mais de galhos e pedras, com poucos peixes. O percurso é um pouco cansativo pois o mergulho é subindo o rio e a correnteza é forte, necessário em determinados pontos segurar nas pedras e nas cordas que foram amarradas no fundo do rio, teve momentos que precisei da ajuda do instrutor para não ser levada pela correnteza, é bem aventura mesmo. É uma experiência diferente para quem gosta de mergulhar, mas não recomendo para quem quer por exemplo fazer o primeiro mergulho. Recomendo tirar alianças, brincos, colares e pulseiras, porque o risco de perder é grande. Durante o passeio o instrutor vai filmando e tirando fotos, no final eles disponibilizam para quem tiver interesse e tem um custo. Todo o equipamento de mergulho está incluído no valor do passeio.



Bote no rio Formoso: Escolhemos fazer o passeio achando que era rafting, mas é mais um passeio pelo rio, não tem muita aventura. É um passeio bem tranquilo pelo rio Formoso, passando por três pequenas cachoeiras que nem dá medo e tem uma parada para banho no rio. Passeio bom para fazer depois de algum passeio cansativo, ideal para contemplar a natureza e os macaquinhos que ficam fazendo graça pulando de uma árvore na outra! Recomendo passar protetor solar porque tem muita exposição ao sol e repelente porque tem muito pernilongo, ir para o passeio com roupa leve para fazer o passeio, sabendo que irá molhar e levar toalha e uma peça de roupa seca para trocar depois.  A única máquina que permitem levar é a Gopro e mesmo assim tem que estar presa em alguma parte do corpo, por questões de segurança. No local de apoio tem guarda volumes para quem quiser guardar mochila, então quem quiser é só pagar a taxa do guarda volume, é baratinho. Se você tem pouco tempo em Bonito, escolha outro passeio, esse é mais para quem quer passeios bem tranquilos ou está com tempo sobrando em Bonito!! Seu tivessem me falado isso eu teria optado por outro passeio, mas valeu a experiência para contar a vocês.



Buraco das araras: Buraco das araras é um passeio bem tranquilo, sem restrição de idade. Até chegar ao buraco das araras é necessário uma pequena caminhada e ao avistar o buraco que é uma formação geológica oriunda do desmoronamento do teto de uma caverna e as araras escolheram como lugar para morar e procriarem. É possível ver araras vermelhas em grandes quantidades, voando, nos paredões do buraco e nas árvores, se tiver sorte pode aparecer alguma arara azul, mas são raras na região. Ao redor do buraco tem os mirantes para avistar melhor as araras e tirar fotos. É um passeio relativamente rápido, então pode combinar com um segundo passeio no dia. Existe um ponto de apoio onde chegamos, recebemos as primeiras orientações do guia e lá vende água, picolé e aluga sapatilha para quem não vai de sapato fechado, as agências alertam da obrigatoriedade de ir de tênis. Recomendo levar boné ou chapéu, protetor solar e água.



Flutuação no rio Prata: O passeio que mais gostei!!! É uma flutuação de percurso longo, super tranquilo, feito com o acompanhamento de guia e não é necessário saber nadar. Como todo passeio em Bonito, este também tem limite de pessoas por flutuação e por dia. São vários tipos de peixes que visualizamos durante a flutuação!!! Além dos peixes tem a vegetação aquática e a que contorna todo o rio que dá uma sensação de paz, tranquilidade e segurança. As roupas e equipamentos para flutuação estão incluídas no valor do passeio e são de boa qualidade, mas quem quiser pode levar o seu. Nó fizemos o passeio com almoço incluído. O transporte leva os turistas até a sede onde temos as primeiras orientações do passeio, onde colocamos as roupas também.

No local tem guarda volume nos banheiros, mas também é pago. O caminho até o rio é feito em uma caminhonete, tipo Rural, e depois um pequena caminhada, na volta o carro estará nos esperando no final do passeio.  Não é permitido o uso de repelentes e protetor solar. Levar roupa de banho, toalha, maquina fotográfica a prova de água e dinheiro para consumos extras. Qual quer outra eventualidade com relação à saúde, verificar antes com a agência.





Cachoeiras Serra da Bodoquena: 
Considerado um passeio novo na região, é um passeio bem tranquilo, ideal para fazer se tiver com tempo disponível e queira sair da parte aventureira, nós fizemos porque o mergulho na lagoa misteriosa que queríamos fazer estava fechado no período e então ficamos com um dia sobrando, mas foi bom, demos uma relaxada! É um passeio de dia inteiro, com almoço incluído e retorno para Bonito no inicio da tarde. É uma sequência de oito paradas para banho incluindo cachoeiras e piscinas naturais, que vão surgindo durante a caminhada pela mata, uma caminhada bem leve e que no final do passeio tem uma tirolesa e passeio de bote pelo rio. É uma área privada, com grande área gramada, piscina adulto e infantil, redes para descanso e quiosques para alimentação. Não precisa saber nadar para fazer o passeio, é recomendado levar câmera a prova d'água, repelente porque tem muito pernilongo durante a caminhada, levar também protetor solar, calçado para caminhada, toalha, roupa de banho e dinheiro para consumos extras, já que o almoço está incluído no valor do passeio. O almoço é refeição simples, com salada e mais de uma opção de carne. 





Bonito tem muitos outros passeios e que vai depender do interesse de cada um, da disponibilidade e até da condição física.  Tenho vontade de retornar para fazer o mergulho na lagoa misteriosa, já que na época que fomos ela estava interditada, porque até maio é período de algas na lagoa e atrapalha a visibilidade do mergulho, e outro passeio que não fiz por falta de tempo, como eu disse anteriormente foi o Abismo Anhumas e também queria muito fazer!!! Quem sabe emendar com uma ida no Pantanal!

Essa foi nossa rápida passagem por Bonito!!!

terça-feira, 15 de novembro de 2016

Deserto do Atacama - Chile


Nossas férias do segundo semestre de 2016 foi uma aventura, acho que foi a viagem mais inusitada até hoje!!! Depois de três dias em Santiago, seguimos para o Deserto do Atacama em voo partindo do aeroporto internacional em Santiago até Calama, duração em média de duas horas e depois mais uma hora em média também até Atacama. Ficamos cinco dias em Atacama, mas não conseguimos conhecer tudo do lugar, então o ideal é ficar de sete a dez dias, para fazer os principais passeios com mais tempo de descanso entre um e outro e também para ter disposição para fazer mais passeios distantes. Apesar de ficarmos só cinco dias, fizemos os passeios principais, mas ficamos muito cansados, o corpo sente muito, principalmente para quem não está com o preparo físico em dia, que era nosso caso, sedentários. Atacama é admirável, a cada passeio a expectativa era diferente e eu sempre me surpreendia!! Preparem-se para sentir muito frio, muito calor, altitude, secura do ar, mas tudo muito válido pelas belíssimas paisagens!!! O publico em Atacama é bem variado, tem família, casal e muitos mochileiros. 
Uma observação importante para a hora de comprar o voo é escolher o lado certo para ver do alto as cordilheiras, ou seja, na ida escolha assentos do lado direito e na volta do lado esquerdo. Tivemos sorte que ainda tinha um pouco de neve, é uma bela vista!! 
Aposto que ficarão com vontade de conhecer Atacama só de ver e ficar sabendo um pouquinho de lá!!! Ah.. preparem-se financeiramente, os gastos em Atacama não são baixos. 

Vamos às dicas.

Transfer Andino: Para o transporte do aeroporto em Calama até Atacama contratamos a empresa Transfer Andino, ela fica no aeroporto mesmo e é muito segura. Reservamos antes de chegar, mas muita gente compra na hora. Já aproveitamos e reservamos a volta. Se reservar a volta junto com a ida tem um bom desconto, então pode reservar sem problemas, a empresa foi pontual e as vans são novas e com ar condicionado. A ida e volta ficam no valor de 15 mil pesos.

Hospedagem: 
A hora de escolher a hospedagem é muito importante, porque muitos falam da falta de água quente e de aquecedores ou ar condicionado. Dependendo da época que for deve-se observar esses itens. Existem poucas opções de hotel em Atacama, a maior parte são hostels, uns maiores, mais perto ou mais longes da rua principal Caracoles. A dica é escolher um lugar com ar condicionado, aquecedor e com água quente porque a temperatura do deserto varia muito, e que seja próximo à Rua Caracoles, onde ficam localizados os restaurantes, lojas, mercadinhos, farmácias com caixas eletrônicos e tudo mais que tenha em Atacama, não que lá tenha muita coisa, rsr. Importante não ficar muito longe porque as ruas são escuras a noites, pode ficar ruim para voltar para o hostel. Depois de muitas pesquisas, escolhermos o hostel Kirckir.

Hostel Kirckir: Hostel familiar, não permite festas e nem falar alto durante a noite. As camas são ótimas, não tivemos problema com falta de água quente em nenhum dia, tem aquecedor e ar condicionado, tv a cabo, internet wife ótima, tem piscina também, no verão deve ser bom, como fomos no invernos, nem pensamos em usar a piscina. O serviço de quarto é bom, trocam as tolhas e arrumam os quartos todos os dias. O café da manhã é simples mas gostoso, com pão, presunto e queijo e panquecas e nos finais de semana tem omeletes, mas a omelete tem que pedir para fazer porque não avisam que esse dia vai ter. Nos dias que saímos para os passeios antes do horário do café, eles preparam lanche para levarmos com suco, bolinhos e barrinhas de cereais, achei muito atencioso da parte deles, mas parece que outros hostels também fazem isso. Além de uma ótima acomodação, está a 5 minutos de caminhada da rua Caracoles, tem um mercadinho do lado, o que ajuda muito porque precisamos comprar muita água e lanches para levar nos passeios. O dono do hostel está smepre presente, muito atencioso e nos ajuda em tudo que for preciso. O hostel oferece também serviço de passeios, nós fechamos todos os passeios com eles e foram todos ótimos, com a vantagem de pagar no cartão de crédito ou um desconto se pagar no dinheiro. As agências de turismo não costumam aceitar cartão de crédito e nem dar desconto no pagamento em dinheiro. Conheci gente que ficou em hotel caro e que teve que dormir no chão de tão ruim que era o colchão da cama, então, fica a dica, em Atacama é importante ver todos os detalhes para reservar a sua hospedagem. Pesquisem as avaliações do Booking e Triadvisor, além do meu blog, é claro rsrsrs .

Restaurantes
Sinceramente, culinária não é o forte de Atacama, opte sempre pelo básico e corra das quinoas, eles acham que sabem fazer quinoa, mas não é verdade.

Delicias Del Carmen: foi a nossa opção do primeiro dia, foi indicação do dono do hostel e como eu já tinha lido em alguns blogs sobre o lugar, não perdemos muito tempo pesquisando, fomos direto lá, até porque estávamos com muita fome. O restaurante serve pratos executivos e também algumas opções a la carte. No almoço tem também o menu da casa que é mais barato, então você escolhe a carne e um acompanhamento,escolhemos bisteca e lomo, o lomo seria tipo o nosso filé mignon, mas não tão macio, não sei qual carne exatamente seria, todos pedidos vem de entrada uma salada. O preço foi em média 30.000,00 pesos, R$150,00, isso mesmo, para dois pratos executivos e duas coca colas. Esse é o preço médio no Atacama, não varia muito de um restaurante para o outro. Não aceita cartão, somente dinheiro.

Lola: Lola foi o restaurante/bar mais animado de Atacama que conheci. Lá sevem algumas entradinhas com pães, jantar e lanches, tem vinhos, coquetéis e cervejas. Fomos lá mais de uma vez, provamos uma entradinha com pães, empanadas e a pizza, já comi empanadas e pizzas melhores, nos dois dias tomamos vinho. No dia que comemos a pizza, o Lola era a nossa única opção, porque formos jantar tarde, 22:30, por causa do retorno tarde de um dos passeios e não tinha mais nada aberto, estava literalmente deserta a Caracoles. Alguns dias tem Karaokê e os clientes cantam, fica bem animado, mas não tivemos coragem de cantar, ficamos só observando. O publico é na maior parte de jovens solteiros e um pouco de casais. Sempre terá um gato em alguma parte do restaurante, cuidado para não sentar em cima de um, eles gostam de deitar nas cadeiras. A conta de cada dia no Lola foi em média R$100,00 para o casal. Aceita cartão de crédito e débito. 

La Casona: Restaurante tem opção de menu com entrada, prato principal e sobremesa com valor em média 10.000,00 pesos por pessoa, R$50,00. Almoçamos lá duas vezes. Além da opção de menu, tem as opções a la carte que são mais caras. Não é todo dia que o menu vale a pena, tem dia que são coisas muito diferente e não quis arriscar, inclusive eu não gostei nada da crema de choclo (sopa de milho), então não indico essa opção de entrada, mas como o prato principal valia a pena, a minha opção era salada de língua ou sopa de milho. o segundo dia  não optei pelo menu, comi sanduíche de carne de lagarto, mas o Carlos escolheu o menu do dia com brusqueta e salmão assado. Um casal de brasileiros que conhecemos almoçou com a gente e pediram costela de boi, o prato vem muito bem servido, dá para duas pessoas.  O local é agradável e a comida muito boa, mas peca no atendimento. Outro problema é falar que aceitam cartão Visa Internacional e na hora de pagar a conta a máquina não aceita. Sempre bom ter outra opção, cartão MasteCard ou dinheiro porque isso é normal no Chile, aconteceu com a gente umas 4 vezes, por fim descobrimos que tem um tipo de máquina que aceita o Visa e outras não.


Bendito Desierto: Jantamos no Bendito Desierto por ser conhecido pelas carnes selvagens, estilo rustico, com mesas de madeira e paredes de barro, no entanto foi uma decepção. O restaurante estava muito vazio e o que queríamos não tinha, que era carne de javali e a sopa de peixe. Mudamos nossa escolha então para risoto de quinoa com camarão e lula, que estava muito enjoativo e podia contar os camarões, de tão pouco e o Carlos pediu carne de lhama, que estava mais seca que o normal, parecia até velha. Não sei se demos azar ou o restaurante está em decadência mesmo. Então, se tiver interesse de comer carnes exóticas lá, pergunte se tem antes, caso contrário, procure outra opção. Aceita cartão de crédito e débito. 

La Terrasa: Foi um o local de um dos nossos jantares, gostei bastante. Bom atendimento, o lugar é pequeno e costuma ter lista de espera a noite. Não lembro de ter opção de menu a noite. Neste dia optei por uma massa, um canelone, estava muito gostoso e o Carlos lomo, que também não estava macio, mas estava gostoso acompanhando o risoto. Aceita cartão de crédito e débito.

 

Adobe: Fomos no Adobe duas vezes e no mesmo dia, almoço e jantar. No almoço escolhi meluza a lo pobre, e Carlos escolheu kafta de cordeiro, com quinoa, dessa vez assertaram a quinoa. Este prato "a lo pobre" é tipico do Chile, é o frango, boi ou peixe, com muita batata frita e um ovo frito em cima de tudo, é muito bom. A noite jantamos espaguete com molho de tomate, alho, manjericão e queijo, que estava uma delicia e muito bem servido, e Carlos de novo foi de lomo, dessa vez com roquefor e de sobremesa comemos profiteroles com sorvete. Indico muito esse restaurante, comida e atendimento ótimos, não é atoa que a noite sempre tem fila de espera. O único problema é que a noite tem uma fogueira no meio para aquecer o ambiente, no entanto a fumaça entra nas partes cobertas e você sai de lá todo defumado.

 


Sorveteria BabaluNão tem tantas opções de sorveteria em Atacama, a Babalu é pequenina mas está sempre movimentada, como alguns nomes dos sabores são desconhecidos para nós, eles deixam você provar alguns sabores. O sorvete é gostoso, acho que é uma boa indicação.

Passeios


Geyser el Tatio: foi o nosso primeiro passeio, começamos em grande estilo! Acordamos 4 horas da manhã e a van nos pegou para o passeio às 5, são 200 km até o destino. O passeio inclui a ida até o Campo Geotérmico, Piscina Termal e o Povoado de Machuca. Foi o frio mais rígido que já peguei -13 graus,para este dia é importante ir com roupas próprias, eu não tinha uma calça térmica e mesmo com três calças, ainda senti muito frio, os dedos congelam segundos que ficamos sem as luvas. Além do frio tem a altitude, então não tome um café pesado, nós deixamos para tomar o café que é oferecido pelo passeio, porque a chance de enjoar no caminho e lá também, é grande. Muito importante levar bastante água, indico isso para todos os passeios, mas para esse mais ainda que a altitude deixa a boca muito seca, mas quando sentimos a boca seca é porque o organismo já está sentindo, então temos que ir tomando água durante todo o passeio em pequenas quantidades para não enjoar. O passeio começa muito cedo,  para conseguirmos ver os geysers em erupção, é fantástico e muito interessante, mas cuidado, não vai se empolgando, respeite as áreas de segurança demarcadas, a temperatura da água que sai é altíssima, e ao mesmo tempo que está muito frio, é preciso ter cuidado para não se queimar. Após observar os geysers, seguimos para o café da manhã e sol está começando aparecer,  café da manhã com geleia, biscoitos, café, leite e chá e também pão com ovos mexidos e queijo. 
Após café da manhã, fomos para a piscina termal, realmente é quentinha a água, mas o problema é o frio ao sair da água, me arrependi de não ter entrado, mas o frio na hora não deixava outra opção, como não tem muita estrutura de vestiários para trocar de roupa, uma dica muito importante é levar um roupão, assim fica mais tranquilo para sair da água, tem agências que cobram mais caro só por causa deste roupão, mas enquanto uns aproveitavam a piscina termal, admirarmos a paisagem, o vulcão, as montanhas com neve e tudo mais ao redor. Acho que o passeio podia sair um pouco mais tarde, ao menos uma hora, assim na hora da piscina já teria sol e animaria mais as pessoas de entrar na piscina.



Povoado de Machuca: Após o Geyser, seguimos para o  essa hora já está esquentando, então é importante estar com uma camiseta por baixo do agasalho, tiramos fotos com lhama e comemos um churrasquinho que dizem ser de lhama mas eu duvido, apelidei o churrasquinho de "vacalhama", rsrs, mas achei estranho terem uma quantidade tão grande de carne de lhama se falaram que é proibida a sua caça, e teriam que ter uma criação muito grande de lhamas para oferecerem tantos churrasquinho de lhama, então acho que é vaca mesmo, mas além do churrasquinho tem uma lugar para comprar bebida e pastel. Para tirar foto com a lhama Elisa, é necessário pagar 1000 pesos, e não tente tirar foto sem pagar porque ela é treinada e só faz pose para foto após um comando do seu dono. No caminho de volta paramos para tirar fotos de algumas lhamas e de um lago com flamingos, quem vai por conta própria de carro a viagem deve ser mais demorada e interessante, já que você pode parar quando quiser e demorar o tempo que puder.


Para esse dia, considerando os geysers e povoado de machuca, é importante ir bem agasalhado para um frio extremo, luvas e tocas são importantes, levar e beber água, levar um mochila com boné, roupa de banho, roupão, toalha, óculos de sol e protetor solar. O passeio custa em média 30.000 pesos incluindo o valor da entrada nos Geysers que é pago a parte e em dinheiro. Fechamos o passeio no Hostel.

Salar de Atacama, Lagunas Altiplánicas e Piedras Rojas ou Salar de Talar: é um passeio belíssimo e dura o dia todo também. As Pedras Rojas foi o meu passeio preferido em Atacama, são lindas as pedras rosas com a vista do vulcão cheio de neve e ainda o salar de talar com os lagos de cor verde claro congeladas!!!! Neste dia, o café da manhã, foi durante o passeio, e o almoço também. O café da manhã foi na primeira parada, em uma das primeiras lagunas altiplánicas, com muito frio e vento, o café tinha chá quentinho, café com leite, ovos mexidos, bolos e pães. Ficamos um tempo nesta primeira lagoa e seguimos para a próxima lagoa após o café da manhã. Seguindo o passeio, pegamos a van e seguimos para às Pedras Rosas, ficamos por lá uma hora e poucos conseguiram ficar lá por causa do vento que é muito forte e
intensifica o frio, mas eu e Carlos conseguimos, na verdade nem sentimos uma hora passar, eram tantas fotos e tanto a admirar que quando assustamos, só faltava a gente a voltar para a van. Durante o caminho para o Salar do Atacama fizemos algumas paradas para ver os animais, lhamas, vicunhas e coelhos e paramos também para almoçar no Santiago Cocineira, o almoço era simples mas estava bem gostoso, foi melhor do que eu esperava, tinha sopa de entrada, arroz com frango e pêssego em calda de sobremesa. Após almoço, conhecemos o Salar de Atacama, lugar todo de sal onde moram flamingos e outras aves, é surpreendente, por onde olha tem uma infinidade de sal, e é sal mesmo, Carlos fez questão de colocar a língua para ter certeza, mas não façam isso, não é nada seguro, já que o sal ali exposto é muito sujo. Nessa hora já estava calor, o sol muito forte, queimando bastante. Para esse passeio indico ir com roupa de frio e com uma malha por baixo caso esquente, se tiver é bom levar aquelas blusas com proteção UV, boné e protetor solar. Ah e levar água também.




Termas de Puritana: Em nosso quarto dia em Atacama, fomos fazer o passeio mais relaxante da viagem! Apesar de falarem para não irmos por estarmos no inverno e que não valia a pena porque sentiríamos muito frio ao sair da água, nós fomos e adoramos!! É uma delicia de passeio, com duração de meio dia, saímos às 9 horas e retornamos as 13:30. Termas de Puritana são piscinas naturais com a água na temperatura de 32°, ou seja, é muito bom, nem percebemos as horas passarem, ainda demos sorte que não estava lotado e deu para aproveitar bem as piscinas, e para variar tinha muitos brasileiros, oportunidade também para conversar e conhecer outras pessoas. Caso queira fazer um lanche, no local tem lugar para fazer refeições, inclusive tem agências de turismo que vendem o pacote mais caro por ter um lanche, mas acho desnecessário porque retornamos na hora do almoço, alguns também cobram mais caro porque oferecem roupão de banho para usarem, realmente o roupão é útil, mas você pode levar o seu, não precisa pagar mais caro por isso. Ao sair da água da um friosinho mas nada desesperador, até porque a hora que a gente sai da água já está mais quente e não sentimos tanto frio, já para entrar é mais difícil, mas o frio é questão de segundos, a água é muito quentinha. Então para esse passeio sugiro levar toalha, roupão, roupa de banho e protetor solar.Passeio indicado para qualquer idade. A entrada nas termas custa 15 mil pesos.



Vale de La Luna e pedra do Coiote com pôr do sol: No mesmo dia que fomos nas Termas de Puritana na parte da manhã, fomos a tarde no Vale de La Luna. Esse passeio é bem cansativo e pede um bom preparo físico, não que alguém com pouco preparo físico não pode ir, mas vai sentir bastante o passeio, que foi o meu caso, mas não indico para idosos. Começamos o passeio com entrada na gruta que por sinal não tem nada de mais, simplesmente uma passagem que foi se formando com o sal e que tem partes que precisamos passar rastejando, no Brasil existem grutas muito mais bonitas, caso opte por não ir, não faz falta alguma, a não ser pela paisagem que vimos ao sair da gruta, já que a saída é no alto do vale. Após a gruta, pegamos novamente a van e seguimos para o destino principal, o Vale de La Luna, que tem esse nome porque do alto parece realmente a lua. Chegamos então ao destino principal, hora de subir um duna enorme de areia, essa hora sim deu para ver o que é estar no deserto, detalhe, levamos menos água do que pensamos precisar e não tem lugar nenhum para comprar. É uma boa subida com o sol queimando a sua cabeça e sua pele, o boné neste passeio é essencial. Após a caminhada temos a recompensa, a linda vista de cima das dunas de areias é maravilhosa. Muito importante neste passeio ir com blusa de manga com proteção UV, boné, protetor solar, óculos escuros, muita água e umas barrinhas de cereais, ou frutas para repor a energia. Para entrar no Vale de La Luna tem que pagar 3 mil pesos.


Seguindo o passeio, fomos para o destino final, ver o pôr do sol na pedra do coiote. Nesta hora já estávamos exaustos, mas queríamos muito ver o famoso pôr do sol de Atacama. Chegamos bem na hora e é um momento lindo, o sol vai desaparecendo bem devagar e ficando com a cor de fogo cada vez mais forte e junto o céu vai escurecendo.


Esses são os principais passeios de Atacama, mas existem muitos outros que devido ao pouco tempo não pudemos fazer, mas que também dizem serem ótimos, que é a caminha até o vulcão, o Vale de La Muerte e o passeio noturno para ver as estrelas, Atacama é conhecido também por ter o céu mais estrelado, e para quem gosta de mais aventura ainda, tem a travessia do Salar de Uyuni, muito famoso também.

Nosso tempo no Atacama foi muito bem aproveitado, no último dia optamos por ficar na cidade, já que a tarde iriamos embora. Conhecemos a igreja, a praça e s cães de Atacama, muitos cães, mas todos têm suas casas e estão bem cuidados, acho que ficam passeando durante o dia e comendo uns petiscos dos turistas. Aproveitamos o último dia para comprar souvenires de Atacama, tem muitas opções mas poucos aceitam cartão, indico irem em um conjunto de lojas que ficam bem no inicio da Caracoles, é como se fosse uma galeria com varias lojas, e a primeira loja logo na entrada a direita aceita cartão e tem um atendimento muito bom!




Então essa foi a nossa viagem ao Deserto do Atacama e indico a todos conhecerem esse lugar, é muito bonito, surpreendente e diferente de tudo que já conheci.

Próximo post??? ainda não sei, talvez retome o que ainda falta da Itália ou o restante dos nossos dias no Chile!!! Aguardem!!!!